Centro de SP passa a contar com serviço de ginecologia para mulheres com deficiência

O governador Geraldo Alckmin abriu neste sábado, 28, um serviço ambulatorial especializado na assistência em saúde de mulheres com deficiência. Localizado no hospital estadual Pérola Byington, o projeto “Sábado sem Barreiras” oferece assistência em saúde ginecológica para mulheres com mobilidade física ou intelectual reduzida.

“Hoje começa no Estado de São Paulo um serviço de saúde inovador para mulheres com deficiência. Este programa é feito aos sábados, com isso, utilizamos os serviços de saúde ociosos, o que facilita para as famílias, porque o trânsito é melhor aos sábados”, afirmou Alckmin. O governador ainda frisou que a intenção também é levar essa proposta pioneira para outros serviços de saúde do Estado.

Os atendimentos, que inicialmente serão realizados no último sábado de cada mês, das 8h às 12h, ocorrerão em um ambulatório localizado no 2º andar do hospital e contará com assistência de uma equipe multidisciplinar composta por médicos ginecologistas, enfermeiros, psicoterapeutas e psicólogos. O projeto recebeu investimento de R$ 20 mil para a compra de equipamentos e adequação do espaço físico.





Outro diferencial do projeto se deve ao fato de ser considerado “sem tempo de espera”, já que, durante o período que antecede a consulta, as pacientes poderão participar de grupos de discussões com psicólogos e psicoterapeutas sobre sexualidade e outros temas do cotidiano da pessoa com deficiência. Serão realizados dois grupos de discussões por sábado, com início às 8h e às 10h.

Agendamento prévio

Para passar pelo atendimento médico, a paciente com deficiência, seja física ou intelectual, deve fazer agendamento prévio por telefone sempre na segunda semana do mês, às segundas, terças ou quintas-feiras, entre 10h e 12h, pelo telefone (11) 3248-8123. Serão atendidas, em média, 1.000 mulheres por ano.

Os resultados dos exames por imagem, como ultrasonografia, serão entregues no mesmo dia da consulta. Já os resultados de outros exames mais complexos e que eventualmente não fiquem prontos na hora, poderão ser consultados via internet, serviço considerado inédito e exclusivo para estas pacientes.

Fonte: O Governo do Estado





Deixe seu comentário