História de São Paulo é contada em quadrinhos

Neste mês das férias, o CCBB se apoia na linguagem dos quadrinhos para apresentar às crianças a história de São Paulo e algumas lendas do mundo, como a história grega do minotauro.

ÀS SEXTAS
Às 11h
Laboratório que propõe inventar histórias em quadrinhos sem usar os olhos. Para crianças a partir de 10 anos.

Às 14h
Contação de uma história japonesa, O Abanador Mágico do Tengu, sobre um ganancioso rapaz chamado Chon. Ele se envolve com o Tengu, uma criatura que vive no meio das florestas e possui um abanador mágico. Chon planeja roubar o abanador para ficar rico. História contada também em língua brasileira de sinais.
Classificação indicativa: livre.
Recomendação etária: a partir de 5 anos.
Laboratório de Ações Criativas – Quadrinhos Contam a História de São Paulo

SOMENTE ÀS QUINTAS
Às 11h
O Brasil foi um dos primeiros países a produzir história em quadrinhos. “Nhô Quim” (1869), de Ângelo Agostini, é considerada a primeira revista em quadrinhos brasileira e uma das primeiras do mundo. Neste laboratório, a ideia é apresentar a história de São Paulo através da linguagem de HQ.





ÀS QUINTAS E AOS SÁBADOS E DOMINGOS
Às 13h
Inspirado no mundo dos quadrinhos, o grupo de contação narra mitos gregos, fábulas japonesas e lendas indígenas. Às sextas-feiras a contação é também em libras.
Em Urashima Taro, os visitantes conhecem esse personagem que salva uma tartaruga e depois é convidado a conhecer o Paraíso do Fundo do Mar.

Na história do Minotauro, aprende que, na Grécia, existiu a lenda um rei muito poderoso chamado Minos. Ele era dono do famoso labirinto onde mantinha o Minotauro.

E em Cinderela Indígena, os ouvintes são apresentandos à uma lenda indígena canadense que fala da divindade das florestas.

ANOTE NA AGENDA
QUANDO: de 19 a 29 de julho
ONDE: Centro Cultural Banco do Brasil
QUANTO: grátis

Fonte: Folha de S. Paulo





Deixe seu comentário